Próximas edições

Para que a minha voz seja ouvida

Sinopse

Quando é necessário comunicar com vários serviços, públicos ou privados, nem sempre sabemos o que escrever, como escrever ou sequer por onde começar. A comunicação escrita ou verbal no mundo dos direitos e dos deveres é complexa, mas pode ser esclarecida.  Este curso propõe-se a capacitar os participantes com ferramentas e dicas práticas que lhes permitam melhorar essa comunicação e assegurar a expressão das nossas questões, direitos e desejos como cidadãos.

«O desempenho da formadora é uma experiência inesquecível, os seus preciosismos conseguem transformar-nos num cidadão que quer sempre escrever. Experiência brilhante e quem experimentar nunca esquecerá (só se deixar de escrever).» José Matias (Formador)

Descrição

«Recebi uma carta, não percebo o que querem, nem o que devo fazer. E agora?»

«Fui mal atendida num serviço. Posso reclamar? Mas como fazê-lo?».

Se já teve um destes diálogos interiores, este curso pode trazer algumas respostas.

Estas e outras questões surgem frequentemente quando, tanto os serviços públicos, como os privados entram em contacto com os cidadãos. Os nossos serviços, a Administração Pública, em especial os serviços da Justiça e outros, também privados, comunicam de forma pouco próxima do cidadão. Usam muitos termos técnicos, alguns dos quais jurídicos, esquecendo-se de que esta linguagem não faz parte do  dia-a-dia da generalidade dos cidadãos. São utilizados termos pouco intuitivos e muitas vezes enigmáticos, tornando a comunicação difícil e ineficaz. Estas características dificultam a fluidez e a clareza do diálogo que é necessário estabelecer connosco, cidadãos em vários contextos da vida. 

Este curso habilita os formandos a compreenderem esta linguagem complexa de forma a comunicarem de forma mais clara com os serviços públicos e privados e a manterem um relacionamento mais eficiente com as Instituições.

O curso é ministrado em regime a distância. As sessões são síncronas e decorrem em direto nos dias e horário definidos, não havendo possibilidade de serem gravadas.

Objetivos

  • Escrever e apresentar uma reclamação;
  • Escrever uma carta e a negociar através dela;
  • Enviar cartas através dos vários canais de comunicação disponíveis (via postal, via eletrónica, etc.);
  • Comunicar com o Tribunal.

Destinatários

Maiores de 18 anos; domínio oral e escrito da língua portuguesa.

Programa

  • Reclamar para ganhar voz; 
  • Estabelecer diálogo para negociar;
  • Escrever para ser lido;
  • Se há cartas que merecem resposta, outras exigem resposta.

Requisitos

Este curso não exige qualquer conhecimento prévio do tema. 

Não necessita de instalar quaisquer programas.

Para frequentar este curso, é apenas necessário ter acesso a:

  • computador ou tablet onde seja possível abrir e editar ficheiros (.doc e .pdf);
  • ligação à Internet;
  • browser (ChromeSafariFirefox ou Internet Explorer);
  • microfone (obrigatório) e câmara (opcional) funcionais.

Todos os conteúdos e informações contidas neste curso têm natureza e carácter estritamente formativo e informativo, abordando vários temas, questões e cenários de uma forma meramente hipotética, geral e abstracta, não devendo servir de base a qualquer tomada de decisão sem assistência profissional qualificada e dirigida a cada caso concreto.