Folhetim

Na sessão de dia 19 de dezembro, fechámos o ano e mais histórias que podem ser lidas na publicação dos textos completos: https://www.escreverescrever.com/blog/185-sabonaria-folhetim-historias-completas.html

O FOLHETIM é um projecto de histórias a várias mãos vão sendo escritas ao longo das sessões. Cada história tem 5 episódios.

Resumo da história em curso:

O Labirinto das Escolhas traz-nos uma mulher perante um dilema: depois de um vazio aparecem-lhe cinco ofertas de emprego. Com o peso das escolhas enganadas, faz um gráfico à procura de respostas e decide depois confiar a escolha à sorte. Sai-lhe repetidas vezes um emprego em Lisboa, fora da sua cidade. Será que a sorte estava a querer dizer-lhe alguma coisa? Será que daria o salto para o desconhecido? Hesita, pensa e repensa. E finalmente pega no telefone

 
 

O Labirinto das Escolhas 3

   Apareceram-lhe 5 ofertas de emprego ao mesmo tempo.
Na vida é sempre assim: durante largo tempo não temos nada, mas quando aparece algo, aparece às catrefadas, um engarrafamento de oportunidades e o peso inexorável da escolha.
E escolhemos sempre mal, e depois a culpa, a responsabilidade, a suprema angústia sartreana de quem está condenado à liberdade.
Sempre fora torturada por indecisões intermináveis e naquele instante voltou à estrada que se bifurca, à vertigem da decisão, a memória que se repetirá para toda a vida: porque não escolhi ao contrário?
Desenhou uma grelha com 6 linhas e 3 colunas onde escreveu as 5 hipóteses, vantagens e inconvenientes de cada uma, na senda de um qualquer algoritmo de engenharia decisional que lhe iluminasse a escolha acertada.
O algoritmo não surgiu, as vantagens e desvantagens cintilavam aleatoriamente em toda a tabela.
Era um momento pluripotencial, em que tinha abertos todos os destinos, todas as possibilidades, como um deus cego, ou como um escritor diante de uma página em branco.
         O que fazer então? Decidiu entregar-se à sorte. Preparou cinco papelinhos em que escreveu os nomes dos cinco empregos - entre eles, havia um trabalho numa escola, um emprego de secretária, uma oferta para trabalhar numa editora em Lisboa, o que teria significado deixar a sua cidade, mas quem sabe... às vezes as maiores incógnitas escondem surpresas agradáveis - e começou o sorteio da sua lotaria. Tirou à sorte o primeiro papelinho e saiu a oferta de trabalho em Lisboa. Ficou um pouco perplexa e já que não estava convencida quanto àquele primeiro sorteio, tirou à sorte novamente. Parecia que o acaso estava a fazer pouco dela, porque saiu outra vez a oferta de emprego em Lisboa... Interrogou-se sobre aquela coisa tão estranha, estava preocupada com o dilema, agora o importante era saber o que ela verdadeiramente queria, ou seja... será queria realmente dar um salto para o desconhecido?
        Novamente perante aquela encruzilhada .
Ou escolher aleatoriamente o que a sorte lhe destinava ou interiorizar bem o que queria fazer
Voltou a fazer uma tabela analisando os pontos negativos e positivos
De facto sair da sua zona de conforto onde se movimentava com segurança e partir para a cidade grande, impessoal, sem pontos de referência eram um ponto negativo
Iniciar um trabalho que parecia aliciante pois tratava-se de um projecto inovador com uma equipa jovem que parecia integrar- se no seu perfil eram um ponto positivo.
Resolveu contactar o responsável da empresa para esclarecer algumas duvidas e o resultado foi muito esclarecedor poderia ficar a trabalhar em casa, os encontros de grupo eram na maioria das vezes on-line, só precisava de ir a empresa uma vez por semana e ordenado era aceitável para uma principiante.
Então estava decidido não?
Não! o bichinho da dúvida persistia e se … na outra empresa as condições fossem ainda melhores?
Tomou então uma decisão, fez um novo quadro com todas as questões que queria perguntar nesta outra empresa com o registo de impressão positiva ou negativa para cada uma das questões e no final teria mesmo que decidir.
Então ligou…

Helena Campos
Giuseppa Giangrande
Isabel Soares