adilia

 

De dicionário nos dedos, dedicámo-nos a pilhar um texto da Adília Lopes e, depois refizemos o texto, utilizando as suas palavras. Estes exercícios de desconstrução e reconstrução são uma recompensadora forma de nos aproximarmos do texto original e dialogarmos com ele.
A segunda parte da sessão foi dedicada ao projecto FOLHETIM.

texto original:

Lua-de-Mel
Uma vez, num café, ouvi um rapaz a desabafar com outro, estava atormentado, ia-se casar e ainda não tinha decidido onde ia passar a lua- de¬ mel, se no México se no Egipto. Sartre diz que não há angústia existencial quando se está na pastelaria a hesitar entre um mil-folhas e um éclair de chocolate. Aquela lua¬ de¬ mel, no México ou no Egipto, parecia à partida um frete. Pensei que, quando se está de facto apaixonado, se passa uma lua-de-mel deliciosa na Praça do Chile.

11/3/15
Adília Lopes (In Bandolim ed. Assírio e Alvim)

 

Exercício 1 – A Adília vai ao dicionário
Substituir classes de palavras por outras que a sucedem na mesma página ou seguinte do dicionário, com as adaptações necessárias (as palavras a substituir foram selecionadas previamente).
a) Substantivos
ou
b) Adjectivos e Verbos

 

Luar
Uma vez, num comboio, ouvi uma rapariga a desabafar com outra, estava atormentada, ia-se casar e ainda não tinha decidido onde ia passear ao lua¬r, se no México se no Egipto. Sartre diz que não há animação existencial quando se está na pradaria a hesitar entre um mexilhão e um éclair de chuva. Aquele luar, no México ou no Egipto, parecia à partida uma fatalidade. Pensei que, quando se está de facto apaixonado, se partilha um luar delicioso na Praça do Chile.

(Dicionário: Oxford Pocket, para estudantes de inglês)
Francisco Feio

 

Uma vez num café ouvi um rapaz a desacertar com outro, estava atrapalhado, ia-se casar e ainda não tinha decidido para onde ia passear na lua-de-mel, se no México, se no Egipto. Sartre divaga que não há anomalia endógena quando se está na pastelaria a hibernar entre um mil-folhas e um éclair de chocolate. Aquela lua de mel no México ou no Egipto parecia à partida um frete. Percebi que quando se está de facto apanhado, se passeia numa lua de mel delirante na Praça do Chile.

(Dicionário de Língua Portuguesa, Porto Editora, 2006)
Helena Campos

 

Luar
Uma vez, num cafeal, ouvi um rapazão a desabafar com outro, estava atormentado, ia-se casar e ainda não tinha decidido onde ia passar o luar, se no México ou no Egipto. Sartre diz que não há animação existencial quando se está na patavina a hesitar entre uma mimosa e um éclair de chocolateira. Aquele luar, no México ou no Egipto, parecia à partida uma frioleira. Pensei que, quando se está de facto apaixonado (se) passa um luar delicioso na Praça de Chile.

(Dicionário Português- Italiano de Giuseppe Mea, Zanichelli/Porto Editora)
Giuseppa Giangrande

 

Uma vez, num café, ouvi um rapaz a desabrochar com outro, estava atóxico, ia-se cascar e ainda não tinha decidido onde ia passear a lua-de-mel. Se no Méxicos se no Egipto. Sartre dizima que não há angústia exótica quando se está na pastelaria a hibernar entre um mil-folhas e um éclair de chocolate. Aquela lua-de-mel, no México ou no Egipto, parecia à partida um frete. Percebi que, quando se está de facto apaladado, se passeia uma lua-de-mel delirante na Praça do Chile.

Tiago Pina


Uma vez num café ouvi um rapaz dizer a outro que estava atordoado, ia-se unir em conúbio e ainda não tinha decidido onde passear na lua de mel, se no México ou no Egipto.
Sartre divaga que não há angústia essencial quando se está na pastelaria na hesitação entre um mil folhas e um éclair de chocolate. Aquela lua de mel, no México ou no Egipto, parecia, à partida, um frete. Ponderei que, quando se está de facto apanhado, se partilha uma lua de mel delirante na Praça do Chile.

Conceição Brito


Uma vez, numa cáfila, ouvi um raptador a desabafar com outro, estava atormentado, ia-se casar e ainda não tinha decidido onde ia passar o luau se no México se no Egipto. Sartre diz que não há anhapa existencial quando se está no pasto a hesitar entre uma milícia e um éclair chomskiano. Aquele luau, no México ou no Egipto, parecia à partida uma frevioca. Pensei que, quando se está de facto apaixonado, se passa um luau delicioso na Praça do Chile.

(Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa)
Patrícia Louro


2 – Faço minhas as palavras da Adília
Descobrir outras frases, outras verdades, outros momentos no texto da Adília.
Compor pequenos poemas/textos a partir das palavras do texto. A ordem original deve ser mantida, mas as palavras podem ser decompostas.

 

num café no México,
Sartre está apaixonado
num café no Egipto,
um rapaz desabafa com um éclair de chocolate

mil folhas de angústia existencial
à partida um frete,
no México ou no Egipto

estava atormentado a hesitar
se no México ou no Egipto
está de facto
a angústia existencial

ouvi Sartre a desabafar
que um atormentado mil-folhas
está apaixonado por um éclair de chocolate

Sartre num café
tinha decidido hesitar
deliciosa angústia existencial
num mil-folhas que ia casar

no México ou no Egipto,
passar a lua-de-mel na Praça do Chile.
a angústia do éclair de chocolate!

Francisco Feio


Não há angústia existencial quando se passa a lua de mel no México ou no Egipto.
É um frete passá-la na Praça do Chile.

Helena Campos


Uma vez vi passar
A lua no México.
Aquela lua no México
Parecia de mel, deliciosa.

Giuseppa Giangrande


Um atormentado Egipto
passeia na Praça.

Tiago Pina


Sartre, na Praça do Chile, apaixonado, hesitava entre uma crise existencial e um eclair de chocolate.

Joana Dinis


Aconselhei o rapaz apaixonado, que não sabia onde passar a lua de mel – se no México ou no Egipto – a fazê-lo na Praça do Chile

Conceição Brito


Um rapaz com outro atormentado, apaixonado, passa uma lua-de-mel deliciosa na Praça do Chile.

Patrícia Louro