Desde 1972 que Nuno é o meu nome. Segundo consta tem origem incerta, possivelmente emergido do latim Nonniu, calcado no termo Nonnus, um nome utilizado pelas crianças para designar os seus tutores.
Sou formador de temáticas comportamentais e comerciais e faço (muito) coaching, conduzido por um mestrado em Psicopedagogia Percetiva, por pós-graduações em Comunicação Publicitária e em Marketing Relacional, e por uma licenciatura em Gestão de Marketing.
Escrevi O Fim da Manipulação Emocional (2008), Freud Explica King (2009) e Aplausos Que Fazem Chorar (2010). Quando me perguntam pelo autor preferido digo que Eça pergunta é cheia de tramas e mistérios. Já o poeta fala na primeira Pessoa, apesar dos nomes.
Procuro todos os dias conseguir ser e estar presente de facto, pelo que gosto pouco de formatações e de convenções que não me convêm. Se não fosse eu gostaria de ser alguém como eu e viver em lugares onde possa ser eu, o que motiva um lema de vida: Carpe Diem com poetas vivos no clube.

Nuno Ribeiro